Na Hungria, 5 países sobem ao lugar mais alto do pódio

Vamos às finais masculinas da copa húngara de ginástica artística, primeiro grande evento internacional desde o início da pandemia.

FX
Na disputa do solo, o esloveno Rok Klavora passou de 7º, na etapa classificatória, a 1º, na final. O atleta contou com o erro do favorito, Milad Karimi (KAZ), cuja nota foi D=6,1. Rok pontuou 14,000. Na ocasião, o esloveno apresentou a nota D=5,3, uma das menores do evento, mas compensou com expressivos 8,700 de execução, sendo o mais “limpo” da respectiva final.

PH
Esta final contou com a presença de atletas veteranos e condecorados no cenário internacional. O pódio foi composto por Nariman Kurbanov (KAZ), ele que já foi finalista mundial. Na oportunidade, pontuou a maior nota de execução e somou 14,600, score suficiente para lhe garantir o ouro. O cazaque simplificou sua série na final, uma vez que na classificatória havia apresentado uma D=6,2 e uma relevante nota de 15,000.

O veteraníssimo Robert Seligman (CRO) conquistou a merecida prata, ao somar 14,350. Já o bronze foi para o russo naturalizado pela Albânia, Matvei Petrov. Ele pontuou 14,050 e exibiu uma dificuldade que parte de 6,5, a maior do evento.

SR
Nas argolas, o austríaco Vinzenz Höck apresentou uma nota D= 6,2, 14,150, e subiu ao lugar mais alto do pódio. Igor Radivilov, ucraniano favorito ao título, falhou e levou a medalha de prata com 13,800.

VT
Mesmo falhando no segundo salto, Igor Radivilov, medalhista olímpico, mundial e europeu, conquistou o ouro. No primeiro salto, com uma nota de partida de 6,0, somou 15,000. No segundo, nota D=5,6, apresentou grande falha. No geral, fez 14,150. Nota esta, igual a do checo, Ondrej Kalny, que teve as maiores notas de execução, acima de 9. Lamentavelmente, pelos critérios de desempate da competição, não levou o título.

A decepção foi protagonizada pelo octacampeão mundial, Marian Dragulescu (ROU). Classificou-se em 1º, errou e terminou numa 4ª posição.

PB & HB
Ambas as finais não tiveram grandes surpresas, Petro Pakhniuk (UKR) levou o ouro na final das barras paralelas, ao somar quase 15,000 – 6,4 14,950. E na barra fixa, o croata Tin Srbic aumentou a dificuldade, de 5,8 para 6,1, pontuou 14,650 e confirmou o favoritismo.

Fonte: FIG | Photo: OFT Austrian Gymnastics.

Na Hungria, 5 países sobem ao lugar mais alto do pódio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s