2016, o ano em que Melnikova debuta na categoria sênior

blogger-image-1287599388Por Jerfferson Medeiros

Debutando na categoria sênior este ano, Angelina Melnikova é uma das grandes próximos russas. No ranking do site The All Around, que levantou as melhores pontuações dos últimos campeonatos, a russa aparece em 3º no individual geral, com 60,067, atrás apenas de Simone Biles, atual campeã mundial, e Gabrielle Douglas, atual campeã olímpica, ambas estadunidenses.

Quanto às notas e séries da ginasta, no salto sobre a mesa apresenta um DTY (D=5,8); nas barras paralelas assimétricas, na edição 2016 do campeonato russo, apresentou uma série com 6,3 de dificuldade, somando 15,167; na trave do equilíbrio, a atleta pontuou acima dos 15,300, também no campeonato russo. Já no solo, a Rússia que conta com a artisticidade de Ksenia Afanasyeva, terá também a contribuição de Melnikova, que chegou aos 15,200 em competição nacional.

Confira o ranking do The All Around.

A ginasta, decerto, se unirá às veteranas, como Aliya Mustafina, Ksenia Afanasyeva e Maria Paseka, entre outras, na disputa pelo título por equipes no campeonato europeu deste ano, que será realizado na Suíça.

Fonte: The All Around | Foto: Divulgação – sportgymrus.ru

 

2016, o ano em que Melnikova debuta na categoria sênior

Ainda por Glasgow, alguns destaques!

imagesPor Jerfferson Medeiros

Ainda em Glasgow, alguns destaques do campeonato mundial de ginástica artística (GBR).

Além da Grã-Bretanha ter, na disputa feminina, conquistado um resultado inédito para o país, desbancando a Rússia do pódio, e o bronze de Larisa Andreea Iordache, que se redimiu frente aos resultados obtidos na etapa classificatória, o mundial foi palco de várias surpresas.

Comecemos com a prata do cubano Manrique Larduet Bicet, melhor americano na disputa mais completa do WC. A medalha do atleta marcou o retorno de Cuba às grandes competições. O atleta somou 90.698.

Ainda na disputa individual geral, destaque para o retorno da China – bronze do Shudi Deng – ao pódio. Desde 2008, com Wei Yang, o país não figurava entre os três primeiros colocados.

Uma decepção foi protagonizada pelo ucraniano, atual campeão europeu e dos Jogos de Baku, Oleg Verniaiev, que ficou na quarta colocação no AA.

Outro destaque foi a conquista do ouro de Eleftherios Petrounias (GRE) nas argolas. O atleta desbancou grandes nomes, a exemplo de chineses, ucranianos, brasileiro e russos, para arrebatar o título. A última grande conquista grega neste aparelho veio nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, com Dimosthenis Tampakos, que levou o ouro.

Algo incomum foi visto em terras britânicas. A final das barras paralelas assimétricas coroou quatro campeãs, duas russas, uma chinesa e uma estadunidense.

A final do salto também foi marcada por uma participação histórica, com a indiana Dipa Karmakar, que finalizou na 5ª colocação, saltando Produnova.

A final do solo feminino foi bastante acirrada, tendo Simone Biles (USA) defendendo mais um título. Além de Ksenia Afanasyeva (RUS), que fez um espetáculo à parte em artisticidade, o destaque foi para Chunsong Shang (CHN), Sae Miyakawa (JPN) e Elissa Downie (GBR), que mostraram um excelente nível competitivo.

A trave do equilíbrio foi marcada por quedas e falhas das atletas. Simone Biles (USA), com uma grande e segura série, defendeu seu título, mas as surpresas foram protagonizadas por Sanne Wevers (NED) e Pauline Schaefer (GER) que levaram a prata e o bronze, respectivamente.

Foto: Foto: gettyimages Ian MacNicol

Ainda por Glasgow, alguns destaques!

EUA faz dobradinha no individual geral

bandeira-EUA-905x500Por Jerfferson Medeiros

A final do individual geral feminino, realizada nesta quinta-feira (29), foi marcada pelo domínio estadunidense. Simone Biles se tornou tricampeã mundial e Gabrielle Douglas, atual campeã olímpica, a vice.

Se não me falha a memória, a última vez que uma campeã olímpica medalhou em uma disputa AA num WC foi em 1981, com Yelena Davydova (URSS). Hoje, Douglas faz parte da história, repetindo o feito da russa. E falando em Rússia, desde 2010 a nação tinha um representante no pódio. Resultado este, interrompido.

O destaque de hoje, além do já previsível ouro de Biles, foi o bronze de Larisa Iordache (ROU), que superou a si mesma, às pressões e cobranças, fez o que se propôs a fazer e conquistou um excelente resultado, desbancando outras favoritas, a exemplo da campeã europeia, Giulia Steingruber (SUI), e da campeã panamericana, Elsabeth Black (CAN). Iordache fechou sua apresentação nas barras paralelas, aparelho que não é o seu mais forte, mas não decepcionou e pontuou expressivos 14,800, o suficiente para lhe assegurar no pódio.

1ª rotação

Na trave do equilíbrio, a romena Iordache pontuou 14,766 (D=6,3). No salto sobre a mesa, Simone Biles (USA) saltou amanar e pontuou 15,833. Giulia Steingruber (SUI), fez um excelente rudi, 15,600.

Flávia Saraiva (BRA) errou na trave, sofreu duas quedas, e somou 12,226. Já Chunsong Shang (CHN) acertou sua série nas paralelas e pontuou 15,166 (D=6,7).

Biles 15,833 | Steingruber 15,600 | Douglas 15,300 DTY

2ª rotação

A japonesa Asuka Teramoto acertou o  rudi e pontuou 15,166. Laura Jurca (ROU) fez um limpo DTY e somou 15,133. Outro destaque dessa rotação foi a chinesa Shang que fez 14,700 na trave, subindo à terceira colocação.

Biles 30,733 | Douglas 30,333 | Shang 29,866

3ª rotação

Simone Biles abriu a terceira rotação, não fez a trave que costuma fazer, desequilibrou e somou 14,400. Outras favoritas foram derrubadas pela trave, como Black e Steingruber.

Nesta rotação, alguns bons resultados foram obtidos por Shang no solo (14,533 | 6,6), por Iordache no salto (15,066 | DTY) e por Elisabeth Seitz (GER) nas barras (15,233 | 6,6). Simone continuou, ao término das apresentações, liderando.

Biles 45,133 | Douglas 44,733 | Shang 44,339 | Iordache 44,307

4ª rotação

Esta foi uma disputadíssima rotação. Shang, que estava entre as três primeiras, saltou um FTY, liderou por um tempo, mas veio Iordache com uma excelente prova de UB (14,800 | 6,3), a desbancou e se garantiu no pódio. Biles fechou sua participação no solo, pontuou acima dos 15,000 e conquistou mais uma medalha dourada para sua coleção.

Biles 60,399 | Douglas 59,316 | iordache 59,107

Confira os resultados.

Fonte: FIG.

EUA faz dobradinha no individual geral

Em Glasgow, a equipe holandesa fez história

downloadPor Jerfferson Medeiros

Hoje, 24, foram definidas em Glasgow, as equipes finalistas, assim como as atletas que disputarão o individual geral e as finais por aparelho. A disputa por equipe tinha um peso e prêmio a mais, uma vez que garantia à equipe levar, sem disputar o evento teste, um time completo para o Rio de Janeiro, em 2016.

Na disputa por equipes, os Estados Unidos da América lidera (236,611), seguido por Rússia (231,437) e pela anfitriã, a Grã-Bretanha (227,162). O Brasil, que sediará as olimpíadas do próximo ano, perdeu a vaga, em uma disputa acirradíssima, para a Holanda, que fez história hoje, tanto pela classificação olímpica, quanto por levar uma equipe completa. Ainda em relação ao Brasil, a nação terá que disputar o evento teste. O país sofreu importantes desfalques, mas pelos bons resultados apresentados, classificar uma equipe completa é uma realidade.

Na disputa pelo individual geral, a bicampeã Simone Biles foi avassaladora, se classificou em 1º lugar e individualmente para quatro finais, AA, VT, BB e FX. No salto, com o amanar, chegou a casa dos 16,000. No solo, com uma dificuldade de 6,9, impôs uma diferença de mais de um ponto frente à segunda colocada. Biles somou 15,966. Na trave, defenderá o titulo obtido ano passado.

Ainda em relação à disputa AA, o grupo que Biles estará, que compreende as seis primeiras colocadas, será composto pela campeã olímpica Gabrielle Douglas (3ª colocada – 57,516), Giulia Steingruber, que é campeã europeia, e se classificou em 2º (57,640), a atual campeã panamericana, Elsabeth Black (CAN), a medalhista de bronze AA nos Jogos de Baku, Lieke Wevers (NED) e Seda Tutkhalian (RUS). Larisa Iordache (ROM) terá a oportunidade de, indiividualmente, lutar pelo pódio.

Na disputa do salto, Biles (15,633 | 6,3/5,6), Maria Paseka (15,583 | 6,4/6,3), Un Jong Hong (PRK), (15,533 | 6,3/6,4), e Steingruber (15,316 | 6,2/5,8) aparecem nas quatro primeiras colocações, com exceção de Giulia que tem como salto forte o Rudi, as outras ginastas citadas apresentaram, dentre seus saltos, o Amanar.

Nas barras paralelas, a Rússia se manteve com as duas primeiras colocações. A estadunidense Madison Kocian conquistou a terceira colocação, ao superar a casa dos 15 pontos (D=6,6). À final da trave, liderada por Biles, a surpresa foi, sem sombra de dúvidas, protagonizada pelas holandesas, Sanne Wevers, com uma nota D=5,9, pontuou 14,766 e segue na segunda colocação. Sua compatriota, Eythora Thorsdottir é a 8ª.

A final do solo será interessantíssima, de um lado Biles, que por 0,044 não chegou aos 16 pontos, e do outro renomadas e condecoradas ginastas, como Ksenia Afanasyeva (RUS), Claudia Fragapane (GBR) e Steingruber (SUI). Uma boa surpresa foi a presença de Sae Miyakawa, do Japão, que segue em 2º. Uma decepção foi protagonizada por Alexandra Raisman, atual campeã olímpica, que perdeu sua vaga para Margareth Nichols, sua compatriota.

Os países que disputarão o evento teste serão: Brasil (221,861), França (219,919), Bélgica (219,780), Alemanha (219,261), Romênia (217,220), Austrália (214,812), Coreia do Sul (213,744) e Suíça (213,494).

Confira o resumo da classificatória de ontem.

Amanhã, 25, terão início as disputas masculinas.

Fonte: FIG | Foto: Arquivo | UEG

Em Glasgow, a equipe holandesa fez história

Em competição interna, Biles conquista a maior soma no individual geral

1Com base em algumas notas obtidas em eventos anteriores, foi feita uma previsão, e em competição realizada nos Estados Unidos, entre ginastas do Texas e atletas que integram a seleção, muitos foram os destaques. Simone Biles teve a maior pontuação dentre as AAders, somou 61,119 (VT: 15,902 | UB: 14,590 | BB: 15,098 | FX: 15,609).

Bailei Key foi a segunda colocada (58,956), seguida pela veterana Alexandra Raisman (58,925). Gabrielle Douglas foi a quarta melhor individual geral, ao somar 58,900, e Kyla Ross, a quinta (58,761).

Um outro destaque foi protagonizado pela finalista no WC do ano passado, Ashton Locklear, que teve a maior nota dentre as barristas, somou 15,291.

Os USA (Douglas, Raisman, Ross, Locklear e Skinner) conquistaram o título por equipes em cima do Texas (Biles, Key, Baumann, Kocian e Smith), por uma diferença mínima.

As veteranas e campeãs olímpicas mostraram em suas apresentações e notas conquistadas que voltaram bem e dispostas a lutar por uma vaga na seleção, visando o mundial pré-olímpico deste ano.

1

Fonte: Gymnastics Coaching via @lchops96 (Confira o link).

Foto: Jong Cheng/ USA Gymnastics

Em competição interna, Biles conquista a maior soma no individual geral

Giro pelo esporte!

1Por Jerfferson Medeiros

Nos Jogos do Sudeste Asiático, a vietnamita Thi Ha Than Phan conquistou o título individual geral, ao somar 53,650 (VT: 14,500 | UB: 11,900 | BB: 13,500 | FX: 13,750). Nas competições masculinas, Phuong Thanh Dinh levou o oruo, com 86,150 (FX: 14,600 | PH: 14,100 | SR: 13,350 | VT: 14,500 | PB: 15,800 | HB: 13,800). Confira os resultados. Fonte: Fulltwist | Foto: gymnasticscoaching.com

Momento de descontração com o Samuel Mikulak (USA). Confira.

2Na África do Sul, durante o nacional, Ryan Patterson conquistou a medalha de ouro no individual geral, ao somar 82,750. Patterson conquistou ainda os títulos no solo, onde pontuou 15,000. Levou ainda os títulos nas argolas, 14,400, nas paralelas (14,250) e na barra fixa (14,150). No feminino, Bianca Mann levou o ouro, ao pontuar 52,270 (VT: 13,800 | UB: 12,200 | BB: 12,900 | FX: 13,367). Confira os resultados. Fonte e foto: SAGF

A romena Catalina Ponor treinando na trave do equilíbrio. Confira.

11401588_899351126797020_2634576867725923854_nDurante mais um camping estadunidense, um dos destaques foi protagonizado por Maggie Nichols, que foi a campeã individual geral.  Nichols somou  60,700, destaque para seu amanar, onde pontuou 15,800. Nas paralelas, ela somou 15,000, na trave 15,200, e no solo, 14,700. Ainda no camping, Biles somou 15.700 na média dos saltos, 16,000 na trave e 16,000 no solo. Fonte: The Magnificent “USA, Russia & Romania”

Giro pelo esporte!